Ignasi Duarte

Nasceu em Barcelona em 1976. Abandonou o curso de Filosofia na Universitat Autònoma de Barcelona. Em 1996, constitui o Museu Nacional de Arte Portátil (MNAP), com outros dois colaboradores. Paralelamente, participa como artista visual em diversas exposições colectivas (QUAM-Free Zone, Fundació Joan Miró/ Espai 13, Galeria dels Àngels, Visions de Futur 2000/ La Capella…) e inicia a colaboração com Antoni Miralda no projecto Food Cultura Museum.


No final de 2003, inicia uma relação profissional com o director de teatro Roger Bernat, com quem realizará os espectáculos LA LA LA LA LA (2003-04), Amnèsia de fuga (2004), Tot és perfecte (2005), assim como as quatro performances que configuram a sé rie Rimuski (2006). Como dramaturgo também associa-se, entre outros projectos, na criação, em parceria com Juan Navarro, do espectáculo Fiestas Populares (2005). A experiência no teatro é, fundamentalmente, o que o leva a realizar a sua primeira longa-metragem, Montemor (2012).

Actualmente, trabalha na elaboração de uma teoria discreta sobre o Teatro Automático, a sua primeira aproximação cénica chama-se “Conversaciones fictícias”.